Monarquicos.com Monarquicos.com Fórum Monarquicos.com Vídeos Monarquicos.com Adicionar aos Favoritos
Registar Registe-se neste Fórum (Gratuito)   Entrar Entrar no Fórum
Data: Dom Mar 24, 2019 21:36
Índice do Fórum : Espaço Cultural
Espaço da Poesia
Ir à página Anterior  1, 2, 3 ... , 25, 26, 27  Próximo

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2125
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Seg Mar 11, 2019 23:20     Assunto : Responder com Citação
 
Um lindo poema dirigido à mulher, de Stella de Sanctis...

E VIVA A MULHER!... O ETERNO É SEU TEMPO, TODO DIA É SEU DIA!

Mulher

Irmã de todos os silêncios,
Patativa além das penas,
Ela tomba gotas de claridade
Sobre desvãos e abismos,
Desperta em rosas seu páramo
E os enigmas por sob as melenas.

Sobre saltos, a maga do (in)finito
Assalta sombras no lilás dos seus avisos,
Une histórias desencontradas
Ao laço das iluminuras
E a renda do vento da espera
Ao âmago vestido de chuva.

... Podes navegar seus olhos,
Mas não te atrevas a roubar-lhe a lua.

Stella de Sanctis
Musas Profusas Literatura.
...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2125
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Seg Mar 11, 2019 23:22     Assunto : Responder com Citação
 
Um belo soneto de Florbela Espanca...

O Nosso Mundo

Eu bebo a Vida, a Vida, a longos tragos
Como um divino vinho de Falerno!
Poisando em ti o meu amor eterno
Como poisam as folhas sobre os lagos…

Os meus sonhos agora são mais vagos…
O teu olhar em mim, hoje, é mais terno…
E a Vida já não é o rubro inferno
Todo fantasmas tristes e pressagos!

A vida, meu Amor, quer vivê-la!
Na mesma taça erguida em tuas mãos,
Bocas unidas hemos de bebê-la!

Que importa o mundo e as ilusões defuntas?…
Que importa o mundo e seus orgulhos vãos?…
O mundo, Amor?… As nossas bocas juntas!…

Florbela Espanca - Livro de Soror Saudade
...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2125
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Ter Mar 12, 2019 23:51     Assunto : Responder com Citação
 
Um lindo poema de Miguel Torga...

No Meu Jardim

No meu jardim aberto ao sol da vida,
Faltavas tu, humana flor da infância
Que não tive...

E o que revive
Agora
À volta da candura
Do teu rosto!

O recuado Agosto
Em que nasci
Parece o recomeço
Doutro destino:

Este, de ser menino
Ao pé de ti...
...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2125
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Qua Mar 13, 2019 20:01     Assunto : Responder com Citação
 
Um belo poema do nosso grande Fernando Pessoa...

Presságio

O amor, quando se revela,
Não se sabe revelar.
Sabe bem olhar pra ela,
Mas não lhe sabe falar.

Quem quer dizer o que sente
Não sabe o que há de dizer.
Fala: parece que mente…
Cala: parece esquecer…

Ah, mas se ela adivinhasse,
Se pudesse ouvir o olhar,
E se um olhar lhe bastasse
Pra saber que a estão a amar!

Mas quem sente muito, cala;
Quem quer dizer quanto sente
Fica sem alma nem fala,
Fica só, inteiramente!

Mas se isto puder contar-lhe
O que não lhe ouso contar,
Já não terei que falar-lhe
Porque lhe estou a falar…
...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2125
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Sex Mar 15, 2019 01:07     Assunto : Responder com Citação
 
Do poeta Augusto Branco...

“Já perdoei erros quase imperdoáveis,
tentei substituir pessoas insubstituíveis
e esquecer pessoas inesquecíveis.

Já fiz coisas por impulso,
já me decepcionei com pessoas
que eu nunca pensei que iriam me decepcionar,
mas também já decepcionei alguém.

Já abracei pra proteger,
já dei risada quando não podia,
fiz amigos eternos,
e amigos que eu nunca mais vi.

Amei e fui amado,
mas também já fui rejeitado,
fui amado e não amei.

Já gritei e pulei de tanta felicidade,
já vivi de amor e fiz juras eternas,
e quebrei a cara muitas vezes!

Já chorei ouvindo música e vendo fotos,
já liguei só para escutar uma voz,
me apaixonei por um sorriso,
já pensei que fosse morrer de tanta saudade
e tive medo de perder alguém especial (e acabei perdendo).

Mas vivi!
E ainda vivo!
Não passo pela vida.
E você também não deveria passar!

Viva!!

Bom mesmo é ir à luta com determinação,
abraçar a vida com paixão,
perder com classe
e vencer com ousadia,
porque o mundo pertence a quem se atreve
e a vida é muito para ser insignificante…”

© Augusto Branco (Porto Velho, Brasil 1980)
...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2125
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Sex Mar 15, 2019 21:27     Assunto : Responder com Citação
 
Um belo poema de Eugénio de Andrade...

O meu país sabe às amoras bravas no verão.
Ninguém ignora que não é grande,
nem inteligente, nem elegante o meu país,
mas tem esta voz doce
de quem acorda cedo para cantar nas silvas.
Raramente falei do meu país, talvez
nem goste dele, mas quando um amigo
me traz amoras bravas
os seus muros parecem-me brancos,
reparo que também no meu país o céu é azul.

in "O Outro Nome da Terra"
...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2125
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Sáb Mar 16, 2019 21:20     Assunto : Responder com Citação
 
Recordando Natália Correia...

Ode à Paz

"Pela verdade, pelo riso, pela luz, pela beleza,
Pelas aves que voam no olhar de uma criança,
Pela limpeza do vento, pelos actos de pureza,
Pela alegria, pelo vinho, pela música, pela dança,
Pela branda melodia do rumor dos regatos,

Pelo fulgor do estio, pelo azul do claro dia,
Pelas flores que esmaltam os campos, pelo sossego dos pastos,
Pela exactidão das rosas, pela Sabedoria,
Pelas pérolas que gotejam dos olhos dos amantes,
Pelos prodígios que são verdadeiros nos sonhos,
Pelo amor, pela liberdade, pelas coisas radiantes,
Pelos aromas maduros de suaves outonos,
Pela futura manhã dos grandes transparentes,
Pelas entranhas maternas e fecundas da terra,
Pelas lágrimas das mães a quem nuvens sangrentas
Arrebatam os filhos para a torpeza da guerra,
Eu te conjuro ó paz, eu te invoco ó benigna,
Ó Santa, ó talismã contra a indústria feroz.
Com tuas mãos que abatem as bandeiras da ira,
Com o teu esconjuro da bomba e do algoz,
Abre as portas da História,
deixa passar a Vida!"

in "Inéditos"
...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2125
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Dom Mar 17, 2019 21:32     Assunto : Responder com Citação
 
Um poema belíssimo de Paula Mendonça....

Mulher

Um dia fui
Menina nos teus braços
Amante no teu corpo
Perfume na tua pele
Presença na tua vida.
Fui pássaro e voei contigo
nos teus lábios fui beijo
e fui sorriso!
Fui a música que escutavas
e tema do teu poema
Fui a lágrima que enxugaste
e um rio de ternura a transbordar
no teu olhar
Contigo fui mulher inteira´
fui amor, fogueira e orgasmo
fui fiel e companheira.

E hoje, à distância do teu olhar
do teu toque e do teu abraço
Sou o Vazio e o Abismo
Sou naufrago em alto mar.

Esta sou eu na tua ausência
Alma ainda de amor repleta
Mulher sempre
mas tão incompleta!

...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2125
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Seg Mar 18, 2019 23:37     Assunto : Responder com Citação
 
De Pablo Neruda...

«Tira-me o pão, se quiseres, tira-me o ar, mas não me tires o teu riso.

Não me tires a rosa, a flor de espiga que desfias, a água que de súbito jorra na tua alegria, a repentina onda de prata que em ti nasce.

A minha luta é dura e regresso por vezes com os olhos cansados de terem visto a terra que não muda, mas quando o teu riso entra sobe ao céu à minha procura e abre-me todas as portas da vida.

Meu amor, na hora mais obscura desfia o teu riso, e se de súbito vires que o meu sangue mancha as pedras da rua, ri, porque o teu riso será para as minhas mãos como uma espada fresca.

Perto do mar no Outono, o teu riso deve erguer a sua cascata de espuma, e na primavera, amor, quero o teu riso como a flor que eu esperava, a flor azul, a rosa da minha pátria sonora.

Ri-te da noite, do dia, da lua, ri-te das ruas curvas da ilha, ri-te deste rapaz desajeitado que te ama, mas quando abro os olhos e os fecho, quando os meus passos se forem, quando os meus passos voltarem, nega-me o pão, o ar, a luz, a Primavera, mas o teu riso nunca porque sem ele morreria.

in "Poemas de Amor"
...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2125
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Ter Mar 19, 2019 22:37     Assunto : Responder com Citação
 
Um belo soneto de Florbela Espanca...

Os versos que te fiz

Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que a minha boca tem para te dizer!
São talhados em mármore de Paros
Cinzelados por mim para te oferecer.

Têm dolência de veludos caros,
São como sedas pálidas a arder...
Deixa dizer-te os lindos versos raros
Que foram feitos para te endoidecer!

Mas, meu Amor, eu não tos digo ainda...
Que a boca da mulher é sempre linda
Se dentro guarda um verso que não diz!

Amo-te tanto! E nunca te beijei...
E nesse beijo, Amor, que eu te não dei
Guardo os versos mais lindos que te fiz!
...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail