Monarquicos.com Monarquicos.com Fórum Monarquicos.com Vídeos Monarquicos.com Adicionar aos Favoritos
Registar Registe-se neste Fórum (Gratuito)   Entrar Entrar no Fórum

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2678
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Ter Jul 02, 2019 20:05     Assunto : Dom Luís Filipe Responder com Citação
 
D. Luís Filipe de Bragança de seu nome completo: Luís Filipe Maria Carlos Amélio Fernando Victor Manuel António Lourenço Miguel Rafael Gabriel Gonzaga Xavier Francisco de Assis Bento de Saxe-Coburgo-Gotha e Bragança, nasceu em Lisboa a 21 de Março de 1887 e morreu em Lisboa a 1 de Fevereiro de 1908. Foi Príncipe Real de Portugal, filho mais velho do Rei D. Carlos I e de sua mulher, a Rainha D. Amélia de Orleães, foi Príncipe da Beira antes da subida de seu pai ao trono e foi Rei por uns escassos vinte minutos segundo as Leis de ascensão automática ao trono previstas na Lei.

In diversas fontes da net.

Filho mais velho do Rei D. Carlos I e de sua mulher, a Rainha D. Amélia. Como herdeiro do trono, D. Luís Filipe tinha ainda o título de Duque de Bragança, usufruindo dos rendimentos dessa grande dinastia, último morgadio que no seu tempo era ainda legalmente, permitido em Portugal.

Sendo os Bragança-Saxe-Coburgo-Gota uma família melómana em todos os tempos (tanto o seu pai como o avô se dedicando, o primeiro à pintura e à ciência oceanográfica, e o segundo à literatura, tendo traduzido Shakespeare do inglês para o português), D. Luís Filipe de Bragança teve uma educação esmerada em casa durante toda a sua infância, até ser entregue aos cuidados do seu preceptor, o herói das guerras de África Mouzinho de Albuquerque, recém-chegado das colónias, o qual deu início a uma apurada instrução militar ao seu discípulo.

Tal como o seu pai, foi um amante de fotografia, encontrando-se colaboração fotográfica da sua autoria no Boletim Fotográfico (1900-1914).

Exerceu a regência do Reino durante escasso período de tempo em 1907, aquando da deslocação de seu pai em visita protocolar ao estrangeiro. Nesse mesmo ano, e pela primeira vez para um príncipe português desde D. João VI, deslocou-se D. Luís Filipe de Bragança em viagem oficial às colónias, neste caso às africanas, visita com grande impacto nesse tempo.

O Príncipe Real, tal como o seu pai, desfrutava de grande prestígio no Exército, e, sabendo das ameaças de morte a D. Carlos, andava sempre armado de revólver, para o defender quando fosse preciso, jurando sempre que o matariam primeiro a ele antes que ele deixasse matar o seu pai e seu Rei. E de facto, os relatos dizem que antes de morrer ainda atirou a um dos regicidas, atingindo-o ou matando-o mesmo, com o seu revólver Winchester. O Regicídio abriu caminho para a implantação revolucionária da República. Pode existir alguma linhagem ilegítima já que como seu irmão tinha uma vida muito discreta.

O Príncipe Real estava com o seu pai no dia 1 de Fevereiro de 1908, quando o Rei foi baleado pelas costas, na nuca, e morreu assassinado por alguns elementos da Carbonária. O assassínio foi cometido quando a Família Real Portuguesa, os Reis e o Príncipe, regressavam de Vila Viçosa e passavam de carruagem pelo Terreiro do Paço em Lisboa, à esquina da Rua do Arsenal.

Ao tentar defender a sua família D. Luís Filipe de Bragança conseguiu ainda abater um dos assassinos, sendo no entanto atingido mortalmente a tiro, sobrevivendo a seu pai por pouco tempo (Como a lei da ascensão automática ao trono prevista na lei, Luís Filipe teria sido um dos monarcas com um dos reinados mais curtos da história, que durou apenas vinte minutos) . Apenas escapou ilesa ao atentado a rainha D. Amélia de Orleães, sendo ferido no braço o infante D. Manuel, Duque de Beja, que assim subiu ao trono como D. Manuel II, e que viria a ser o último Rei de Portugal.

Encontra-se sepultado junto de seu pai no Panteão Real da Dinastia de Bragança na Igreja de São Vicente de Fora, em Lisboa.

Títulos e estilos:

De 21 de Março de 1887 – 19 de Outubro de 1889: "Sua Alteza Real, o Príncipe da Beira, Duque de Barcelos".
De 19 de Outubro de 1889 – 1 de Fevereiro de 1908: "Sua Alteza Real, o Príncipe Real de Portugal, Duque de Bragança".

Honras:

Espanha: Cavaleiro da Ordem do Tosão de Ouro.
Reino Unido: Cavaleiro Estrangeiro da Ordem da Jarreteira.

Brasão:

Como herdeiro do trono, D. Luís Filipe usava o mesmo brasão de seu pai; diferenciado por um Label dourado de três pontas.
Leonor Especial

 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail