Monarquicos.com Monarquicos.com Fórum Monarquicos.com Vídeos Monarquicos.com Adicionar aos Favoritos
Registar Registe-se neste Fórum (Gratuito)   Entrar Entrar no Fórum

Tygana
Utilizador
Utilizador


Offline
Mensagens: 57

Mensagem Enviada: Dom Nov 11, 2007 12:59     Assunto : Quais as vantagens ou benefícios da Monarquia sobre a República? Responder com Citação
 
É necessario informar e esclarecer com clareza das melhorias e vantagens que trariam para o nosso País o resurgimento de uma Monarquia Moderna, tal como existe noutros paises. Considerando estes tipo de Sites e Foruns um óptimo local para o fazer. Smile
_________________
Tygana / Tatiana

"Uma coisa é achar que se está no caminho certo, a outra é achar que esse é o único."
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2655
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Seg Nov 12, 2007 19:46     Assunto : Responder com Citação
 
A monarquia não é a panaceia para acabar ou matar definitivamente tudo o que está mal na nossa sociedade, só os que estiverem à frente da mesma, poderão fazer a diferença.

Sendo o Rei o expoente máximo da mesma, nunca no meu entender deveria de ser o único a governar, embora não deixe de ter o seu papel muito importante na convergência e unificação dos interesses de Portugal e dos portugueses. O Rei é como um "pai" para o seu país.

O Rei, como já ocupando o seu lugar que lhe é devido por direito próprio, pelo seu nascimento, não está ligado a partidos políticos, nem a este tipo de interesses, ou seja, não deve favores a ninguém ou a partidos políticos, etc., pois está no seu lugar por direito próprio, como já o disse, e como é um lugar vitalício, tem de velar por ele para que perdure pela sua futura descendência. Como costuma dizer a rainha Isabel II do Reino Unido: "temos de olhar pela Empresa". (é mais ou menos esta a frase que ela costuma empregar em família, segundo me constou)

Já um Presidente está com um tempo estipulado e deve a sua actual posição ao/s partido/s que o apoiou/aram nas eleições, com todos os contras que daí possam advir.
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

iznoguud
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2766

Mensagem Enviada: Ter Nov 13, 2007 10:55     Assunto : Responder com Citação
 
Transcrevo para aqui a minha resposta, que estava exposta no tópico original Wink

IzNoGuud escreveu:
Tygana escreveu:
- Quais as vantagens ou beneficios da Monarquia sobre a Republica?
(A mesma não iria limitar o poder de escolha do povo sobre quem iria governar ou reger o País....tornando se imprevisivel e mesmo frustrante..um futuro sem opçoes sobre a sucessão de Reis por Linhagem?)


Esta, quanto a mim, é a pergunta mais difícil de responder. Simplesmente porque tudo quanto te dissermos (pelo menos eu), terá de ser na base da "confiança".
É impossível dizer quais são os benefícios reais que advirão de um Portugal sob uma nova Monarquia, simplesmente por não sabermos quais serão concretamente.
Podemos comparar com os benefícios que outros países tiram de estarem sob uma Monarquia, mas não nos podemos esquecer que nem estes países são Portugal e os Portugueses (logo a forma de agir e pensar é diferente) nem os mesmos são (ou eventualmente foram, com algumas excepções) uma república de forma a podermos afirmar que aquele benefício específico é resultado da Monarquia.

Há N Monarquias Europeias, em que as Famílias Reais gastam bem
menos do que a nossa actual Presidência da República (Casa Civil e Militar) e apenas uma ou duas que gastam mais. Não nos esquecendo que creio que todas as Monarquias Europeias estão bem melhores cotadas que Portugal a nível de desempenho sócio-económico.
Mas provavelmente igualmente iremos encontrar exemplos semelhantes em Repúblicas... logo... estes anulam-se.

Quanto a mim, apenas há um benefício de uma Monarquia sob uma República.
A da figura do Rei, enquanto Chefe de Estado.

Porquê? Simplesmente porque se um Presidente da República é eleito, aparentando a total igualdade entre todos os Portugueses, mas onde as regras respeitantes a quem é elegível e como efectivamente chega à Presidência, demonstram que um Presidente da República, forçosamente terá de ser ou ter estado ligado à vida política Nacional. Ou seja, que tem de ser fruto do actual sistema.

Arrisco-me a dizer que a Presidência é quase vista como a arena para os Pesos "Pesados", com algumas excepções, Partidários que já não têm lugar nos seus próprios Partidos e aos quais lhes são entregues mais esta oportunidade de medirem forças uns contra os outros enquanto não batem a bota Twisted Evil

E já me esquecia de dizer... Apesar de dizerem que representam TODOS os Portugueses, apesar das boas intenções destes, os mesmos oficialmente apenas podem representar aqueles que o elegeram.

Quanto a um Rei...

Efectivamente um Rei não é eleito, com algumas excepções como muito provavelmente acontecerá com o 1º Soberano de uma 5ª Dinastia... chame-se a essa "eleição" de Referendo ou de Cortes, no fundo corresponderá ao mesmo... mas isto é uma opinião pessoal Laughing

Logo... virão os Republicanos dizer que não estamos perante uma Democracia. Mas o problema é que não há apenas uma Democracia... esta fracciona-se.

1º SE todos, ou usando o exemplo Republicano, a maioria preferir uma Monarquia... não estaremos perante uma Democracia? Democracia de escolha quanto à forma como pretendemos ser Liderados numa Chefia de Estado.

2º Por norma, o princípio de Democracia de que se fala e abusa é da Democracia enquanto forma de Governação. Ou seja, Governos, 1º Ministros, Ministros, Secretários de Estado, Deputados, Parlamentos e por aí fora... Ou seja... não se fala uma única vez em Presidentes da República ou Reis Wink

Então em que ponto estamos???
Ok... já deu para perceber, espero, que um Rei pode até ser tão ou mais Democrático que um Pres. e que pode sair menos, tão ou mais caro que o actual sistema...

Onde estão os benefícios?!?!?!?!? Smile (Eu gosto de teatralidades lol)

Simples... Apenas há uma...
Temos a certeza que aquela pessoa, que mesmo assim terá de passar por uma série de situações de modo a provar que a mesma é capaz (ou é corrida a pontapé). É isenta... ou seja... que SE alguma vez tiver de tomar uma decisão, que esta não estará sujeita a ideias pré-concebidas ou indoutrinadas da altura da sua militância partidária.

Se estará sujeito a "pressões"? É claro que sim... mas quanto mais se sobre, maiores serão as pressões e muito provavelmente alguém que teve de subir já teve de ceder algures... (estou a ser malvado) Wink

_________________

 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

Tygana
Utilizador
Utilizador


Offline
Mensagens: 57

Mensagem Enviada: Seg Jan 19, 2009 01:48     Assunto : Responder com Citação
 
Boas!

Já algum tempo que por aqui não passava... Laughing

Faz sempre bem fazer um Retiro de vez em quando...lol Wink

Mas respondendo ao tópico...

Na minha opinião, acredito que no fundo a única alteração mais visível seria sem dúvida o voto de 4 em 4 anos.

No entanto (falo por mim) com estas andanças todas de partidos, qual deles o pior…São propagandas do mais alto nível...-”Escolham-me que sou melhor que o outro”…-”e o outro não fez aquilo”, etc. sempre a mesma “lenga lenga”, e depois não resolvem quase nada.

E pronto quando volta novamente o dia das eleições…lá vão eles fazer umas coisas para parecer bem e tal. Pura Hipocrisia!!!... 0002

Acho que o melhor benefício de uma Monarquia, é o voltar das raízes, do Rei pelo povo e o povo pelo Rei, de alguém que represente a nossa história, o nosso valor o nosso País, de forma contínua, sem fracções de 4 em 4 anos.

Só assim se poderá trabalhar para um país com melhor qualidade.

Por outras palavras, um rei poderá demonstrar uma dedicação contínua, fiável e mais justa…onde já considero diferente, de um presidente que só faz o teatro de benfeitor de vez em quando no seu poleiro (conseguindo, enquanto está lá, tirar alguns “lucros” e tal), ou quando precisa, e quando esta prestes a haver competição novamente com os outros para novas eleições.

Considero assim que a Monarquia teria essa vantagem, sendo Democrática e laica, com um representante pelo povo que se ligue ao povo durante o seu Reino… Rei

No entanto, na minha prespectiva/opinião, deveria ser o povo a escolhê-lo, sei que há muita “confusão” na parte da sucessão, mas podendo haver mais que um, poderá haver escolha.

Cumprimentos! 15
_________________
Tygana / Tatiana

"Uma coisa é achar que se está no caminho certo, a outra é achar que esse é o único."
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

iznoguud
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2766

Mensagem Enviada: Seg Jan 19, 2009 11:58     Assunto : Responder com Citação
 
Tygana escreveu:
Boas!

Já algum tempo que por aqui não passava... Laughing


Cara Tygana, apesar de ter feito as perguntas e de seguida "dado à caçoleta", isso não implica que as mesmas não tenham o seu interesse... já o "dado à caçoleta"... Wink Estou a brincar

Tygana escreveu:
...Na minha opinião, acredito que no fundo a única alteração mais visível seria sem dúvida o voto de 4 em 4 anos.

No entanto (falo por mim) com estas andanças todas de partidos, qual deles o pior…São propagandas do mais alto nível...-”Escolham-me que sou melhor que o outro”…-”e o outro não fez aquilo”, etc. sempre a mesma “lenga lenga”, e depois não resolvem quase nada.

E pronto quando volta novamente o dia das eleições…lá vão eles fazer umas coisas para parecer bem e tal. Pura Hipocrisia!!!... 0002

Acho que o melhor benefício de uma Monarquia, é o voltar das raízes, do Rei pelo povo e o povo pelo Rei, de alguém que represente a nossa história, o nosso valor o nosso País, de forma contínua, sem fracções de 4 em 4 anos.

Só assim se poderá trabalhar para um país com melhor qualidade.

Por outras palavras, um rei poderá demonstrar uma dedicação contínua, fiável e mais justa…onde já considero diferente, de um presidente que só faz o teatro de benfeitor de vez em quando no seu poleiro (conseguindo, enquanto está lá, tirar alguns “lucros” e tal), ou quando precisa, e quando esta prestes a haver competição novamente com os outros para novas eleições.


Na minha opinião pessoal, considero esta abordagem enquanto bastante perigosa!

Simplesmente pelo facto de se reduzir o propósito de uma Monarquia ao de uma República Coroada, como muita "boa" gente por norma apelida!

É um facto que os preceitos democráticos pelos quais todos hoje nos governamos, são um ponto assente de qualquer Regime presente ou, espera-se, futuro.

É igualmente ponto assente que os Partidos se confundem, hoje em dia, cada vez mais. Existindo assim pouco por onde escolher para além das promessas que os mesmos fazem, as quais vão do ridículo ao aceitável, ou da imagem (já de si muito estudada e trabalhada) de marca dos candidatos (nada como uma "chapa 4" para agradar ao pessoal!).

Quanto à Chefia de Estado, considero a mesma uma "profissão" ingrata uma vez que se um Presidente da República, sabe que é "referendado" a cada X anos e para além disso não se pode distanciar demasiado da base política que o elegeu (e escolheu para apoiar). Este sabe que lhe restará pouco tempo para fazer alguma coisa e o que fizer vai querer ter a certeza de que não estará a alienar alguém!

Já um Rei, por ter o factor tempo do seu lado e não se encontrar limitado às lutas políticas e demais situações a tal inerentes, consegue então (teoricamente) ser mais capaz de fazer algo pela Nação.

E não esquecendo que mesmo assim é questionável o que um Chefe de Estado pode ou não fazer, seja este um Presidente da República ou um Rei, uma vez que basta olhar para o lado e perguntar o que acha que deveriam ser os Poderes do Chefe de Estado.

Aposto que boa parte dos Monárquicos defende uma "cópia" da Rainha de Inglaterra... ou seja, alguém que não faça nada para além de assinar os documentos que lhe metem à frente (esta visão encontra-se numa forma exageradamente simplista claro está)!

A questão então que se põe é:

Se em princípio os fundamentos da Democracia estão assegurados, quais deverão ser os poderes a entregar a um Chefe de Estado, e aqui estudar qual o que melhor seria capaz de desempenhar essas funções com esses tais poderes (Presidente ou Rei), assim como é que se deveria estabelecer a forma de Governação por forma a que esta sirva melhor e de uma forma mais capaz os Portugueses reduzindo ao máximo as falhas de tal forma (bastando olhar para a actualidade para ver como uma forma, teoricamente capaz e funcional, mete os pés pelas mãos de uma forma mais habitual que o aceitável)?

Complicada a pergunta não?!

Também o acho, mas é mesmo assim... temos perdido muito tempo a pensar ao contrário. Do topo para baixo, quando deveríamos pensar de baixo para cima e aqui tiro o meu chapéu à A.M.T. a qual deve ser a única entidade Monárquica que tem uma ideia plenamente definida quanto a esta situação (a maioria dos demais fica-se pelo "...troca-se um Pres por um Rei e o resto resolve-se...", com um logo inerente o qual dificilmente sairá de cena) Wink

Creio assim que efectivamente deveríamos começar por definir como é que o Poder Local deveria ser definido (se achássemos que devessem existir mudanças) e daí subir um escalão e por aí fora, montando um sistema o qual culminaria num Rei ou Presidente (conforme o que achássemos melhor) e então pudéssemos apresentar o mesmo modelo aos Portugueses.

Apesar de complicada, esta "montagem" não é em determinadas alturas muito complicada de fazer por questões de natureza óbvia. Daí ser muito fácil apresentar factores mais que suficientes que justifiquem o princípio de um Rei ser melhor que um Presidente! Sendo que nesta questão, a única complicação que há é o de explicar que um Rei, ao contrário do que se pense, não precisa de estar "acima" de ninguém (como é muito usado pelo pessoal do Bloco de Esquerda), isso não implica que não tenham existido Monarquias (e existam num número cada vez mais reduzido) em que tal tenha acontecido. Mas como tudo evolui, também as Monarquias têm de evoluir e acompanhar os desejos de aqueles que estas Governam!

Basta olhar para o Conceito de Monarquia! O qual de uma personalidade que "mandava" em tudo (no fundo era proprietária de tudo quando existia nas "suas" terras), vai passando para um Conceito no qual a Nação nada mais é do que as Terras Ancestrais do Povo, no caso de ser uma Nação antiga o que nem sempre é o caso, que dá e mantém a razão de ser da mesma e o Rei apenas uma figura escolhida para representar e servir aqueles que compõem tal Nação!

Sabe-se lá qual será amanhã o Conceito de Monarquia e o inerente papel que o Rei terá de tomar. Mas sabe-se que este tem funções a si inerentes as quais desde há muito que estão estabelecidas e que as continua a exercer melhor que todas as formas alternativas de Chefe de Estado que têm sido inventadas ou pensadas por aí. Digo eu Wink

Tygana escreveu:
Considero assim que a Monarquia teria essa vantagem, sendo Democrática e laica, com um representante pelo povo que se ligue ao povo durante o seu Reino… Rei


Esta é, actualmente, a visão da figura de um Soberano/Rei e é aceite por todos, creio, enquanto uma visão correcta.

Tygana escreveu:
No entanto, na minha prespectiva/opinião, deveria ser o povo a escolhê-lo, sei que há muita “confusão” na parte da sucessão, mas podendo haver mais que um, poderá haver escolha...


Isso levanta outras questões, as quais merecem um tópico próprio só por si.

Eu e creio que muitos outros, defendo que apesar de estarmos em República, devemos manter a forma estabelecida para a resolução desta questão (sucessão). Ou seja recorrendo às Cortes!

O problema é que:

1º As Cortes estão pensadas para um Regime Monárquico.
2º As Cortes regem-se por um Sistema o qual não está actualmente implementado em Portugal.
3º Etc. Etc. Etc. (há mais umas quantas questões de que não me estou a lembrar de momento, mas por certo alguma alma caridosa o poderá fazer por mim Wink ).

Então como resolver este imbróglio?

a) Pode-se sempre esperar pela restauração de uma Monarquia.
b) Pode-se avançar tal como as Cortes estão definidas.
c) Pode-se procurar "actualizar" o funcionamento das mesmas ao actual Sistema em funcionamento em Portugal.
d) Etc. Etc. Etc., existindo mas umas quantas N opções viáveis desde que percamos algum tempo a pensar nas mesmas.

E "isto" resolveria a questão da Sucessão?

Em princípio não! Simplesmente porque para se mudar o que já está definido todos, ou uma boa maioria, deveria estar disposta a isso e aqui as facções minoritárias o mais certo é que se recusariam a aderir a tal situação, visto saberem de antemão que uma "definição" da situação acabaria com as mesmas o mais certo possível (aceito que até pudessem acontecer surpresas, mas isso sou eu que não gosto de contar com o "ovo no cú da galinha").

E então, em que ponto ficamos! É para avançar ou para ficar onde estamos?

Por mim... era para avançar e "azar", que esta questão há muito que nos atrapalha e atrasa... mas há que existir vontade e basta olhar para o lado para ver o quanto existe de entusiasmo relativamente à elaboração de umas Cortes ou equivalente nos dias de hoje Wink

IzNo

P.S. - Caro Sequeira, acho que lhe respondi à sua pergunta.
_________________

 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

sequeira
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 252

Mensagem Enviada: Seg Jan 19, 2009 15:04     Assunto : Responder com Citação
 
Caro IZNO

Apenas alguns argumentos em que o Rei/Rainha bate o PR:

A Queen Elizabeth II já conviveu com os seguintes Chefes de Governo do Reino Unido:

Sir Winston Churchill 1951-1955
Sir Anthony Eden 1955-1957
Harold Macmillan 1957-1963
Sir Alec Douglas-Home 1963-1964
Harold Wilson 1964-1970
Edward Heath 1970-1974
Harold Wilson 1974-1976
James Callaghan 1976-1979
Margaret Thatcher 1979-1990
John Major 1990-1997
Tony Blair 1997-2007
Gordon Brown 2007

Já apanhou várias crises de petróleo, as revoluções sociais (e sexuais) dos 60's, etc... etc...

Mesmo que não tenha poder real pode dar um contributo importante como Conselheira de um Primeiro Ministro, coisa que um PR, cujo mandato dura, em regra, entre 5 e 10 anos não pode com tanta pertinência.

Nemhum Rei ou Rainha já foi, no passado, 1º Ministro, o que, em Portugal, tem sido normal.

Nenhum 1º Ministro pode dizer: "Ouça lá, você agora defende ISTO e quando lá esteve fez AQUILO".

Mesmo que já tenham passado vários anos, e os tempos sejam outros, o PR é normalmente refém dessas situações.

Penso que devemos incidir a nossa busca de argumentos mais em aspectos relacionados com a vida prática das Nações, que todos percebem e menos em coisas do tipo "identificação com a nossa História, etc..." que, sendo válidos, são menos perceptíveis pela população.

Mais tarde falo das CORTES.

Abraços...

sequeira
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

iznoguud
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2766

Mensagem Enviada: Seg Jan 19, 2009 22:38     Assunto : Responder com Citação
 
0clap 0clap 0clap
_________________

 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

aniana
Utilizador Recente
Utilizador Recente


Offline
Mensagens: 8
Local: Carcavelos
Mensagem Enviada: Sáb Jan 24, 2009 00:35     Assunto : Responder com Citação
 
Boa noite
Sou nova por aqui, mas tenho andado a ler tudo o que posso neste fórum e não só...
Tenho no entanto algumas dúvidas: Como fazer um referendo? Não tem de ser aprovado na AR? Se for esse o caso, nunca se vai fazer? Será ainda possível restaurar a Monarquia em Portugal?

Peço desculpa se as perguntas forem tolas, mas...
Obrigada e cumprimentos
Aniana
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Utilizador

Tygana
Utilizador
Utilizador


Offline
Mensagens: 57

Mensagem Enviada: Sáb Jan 24, 2009 02:28     Assunto : Responder com Citação
 
Boa Noite Aniana! Smile

Seja bem vinda então, a mais um fórum Monárquico! Wink

Quanto às suas questões…

Em relação á 1ª tomo a liberdade de lhe fornecer um link para analisar melhor a mesma: http://www.parlamento.pt/Legislacao/Paginas/LeiOrg anicaRegimeReferendo.aspx

2ª pergunta…
Sim terá que ser mediante proposta da Assembleia da República, ou do Governo, ao Presidente da República que decide da sua realização.

3ª pergunta…
Bom…espero que se faça um dia, no entanto acho que antes da mesma terá que haver mais informação ao povo.

4ª pergunta…
Para quem é Monarquico, acho que todos têm essa esperança, mas continuo a achar que o povo ainda não estará preparado para tal, acho que se questionássemos na rua alguns cidadãos sobre isso, penso que a maior parte iria dizer que era estarmos a dar um passo atrás, etc. ou então até podia-me admirar!

Esperemos que fosse este ultimo e até haver maior pretensão há mudança!

Mas teria que ser bem estudado, haver mais actividade para com o povo, mais informação de como seria, quais as vantagens, etc.
Penso que a maior parte dos Portugueses nem pensa nessa mudança de Regime, por isso achar que ainda não estejam cientes ou informados do mesmo.

No entanto, vamos aguardar mais respostas, que de certo terão mais informações a dar.

Nenhuma questão é tola se for para um esclarecimeto próprio, e apartir daí várias pessoas poderão ficar também esclarecidas através de inumeras formas de ver a mesma questão, quanto mais informação, ficaremos com uma perspectiva mais alargada.0003

No entanto até poderá ser feito um novo tópico deste mesmo, poderá ser que a administração deste forum assim o faça, para aprofundarmos mais especificamente a mesma.

Cumprimentos! 15
_________________
Tygana / Tatiana

"Uma coisa é achar que se está no caminho certo, a outra é achar que esse é o único."
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

aniana
Utilizador Recente
Utilizador Recente


Offline
Mensagens: 8
Local: Carcavelos
Mensagem Enviada: Sáb Jan 24, 2009 15:33     Assunto : Responder com Citação
 
Obrigada pela pronta resposta.
Vou seguir o link que me indicou.

De facto, sinto-me pouco informada e dei por mim a pensar se não teria uma visão romanceada de uma possível Monarquia, no entanto, acho que andamos entregues "à bicharada" e somos como crianças a precisar urgentemente de alguém que nos eduque e ao mesmo tempo nos acarinhe. Necessitamos de uma mudança radical, no meu entender, uma figura de "Pai", de alguém que considere a Pátria como um lar que tem de ser preservado e o Povo, a família que tem de ser protegida.

Nesta altura tão conturbada na vida do País, não sei se não seria boa altura de aparecer uma voz mais activa na comunicação social a falar sobre este assunto...

Mais uma vez obrigada
Aniana
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Utilizador