Monarquicos.com Monarquicos.com Fórum Monarquicos.com Vídeos Monarquicos.com Adicionar aos Favoritos
Registar Registe-se neste Fórum (Gratuito)   Entrar Entrar no Fórum
Data: Sex Nov 15, 2019 12:27
Índice do Fórum : Espaço Cultural
O Espaço da Leitura
Ir à página Anterior  1, 2, 3 ... 9, 10, 11, 12  Próximo

Patena
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 678

Mensagem Enviada: Ter Mar 17, 2009 23:39     Assunto : Anjos e demónios Responder com Citação
 


Título: Anjos e Demónios
Autor: Dan Brown
Editora: Bertrand

Sinopse:

Quando um famoso cientista do CERN é encontrado brutalmente assasinado, o professor de simbologia Robert Langdon é chamado para identificar o estranho símbolo ambigramático gravado a fogo no peito do cientista.
A conclusão é avassaladora: a marca é de uma antiga irmandade chamada Iluminatti, suspostamente extinta há seculos e inimiga da Igreja Católica.
Em Roma o Colégio dos Cardeis está reunido para eleger um novo Papa em Conclave.
Entretanto a Guarda Suiça, apercebe-se que foram raptados os quatro cardeais preferiti ao papado, ao mesmo tempo que são informado que uma perigosa arma roubada ao CERN, está implantada na cidade do Vaticano para a destruir, obtendo assim os Iluminatti a sua vingança.
Numa corrida contra o tempo Robert Langdon e Vitoria Vetra, filha do cientista assasinado no CERN, procuram desesperadamente a antimáteria no meio das intrincadas pistas deixadas pelos Iluminatti no Caminho da Iluminação, para salvar o Vaticano.

Personagens:

Robert Langdon - Professor simbologista de Harvard
Vitoria Vetra - Filha de Leonardo Vetra e cientista no CERN
Leonardo Vetra - Cientista do CERN e a primeira vitima dos Iluminatti
Maximilian Kohler - Director do CERN
Carlo Ventresca - Camerlengo da Santa Sé, que é marcado pelo Diamante Iluminattus
Cardeal Severio Mortati - Decano do Colégio Cardinalício e Grande Eleitor do Conclave
Comandante Olivetti - Comandante em Chefe da Guarda Suíca
Capitão Rocher - Capitão da Guarda Suiça
Hashashin - Assasino contratado pelos Iluminatti, que elimina os preferiti
Gunther Glick - Reporter da BBC
Chinita Macri - Operadora de camâra da BBC
Lieutenant Chartrand - Tenente da Guarda Suiça
Cardeal Lamassé - Preferiti alemão, marcado pelo ambigrama earth
Cardeal Ebner - Preferiti francês, marcado pelo ambigrama air
Cardeal Guidera - Preferiti espanhol, marcado pelo ambigrama fire
Cardeal Baggia - Preferiti italiano, marcado pelo ambigrama water

Filme

O filme vai ser lançado em Portugal em Maio

Trailers:





Actores

Robert Langdon - Tom Hanks

Vitoria Vetra - Ayelet Zurer

Maximilian Kohler - Endre Hules

Camerlengo Ventresca - Ewan McGregor

Cardeal Mortati - Armin Mueller-Stahl (a esquerda)

Comandante Olivetti - Pierfrancesco Favino

Capitão Rocher - Stellan Skagard

Aconselho vivamente o livro e digovos desde já, que quem me quiser encontrar eu vou estar na estreia deste filme no cinema da minha zona de residencia.
_________________
PauloPatena
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail MSN Messenger

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2678
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Ter Mar 31, 2009 11:24     Assunto : Responder com Citação
 
Caro Patena,

Sobre o filme baseado no livro "Anjos e Demónios" de Dan Brown, saiu no jornal DN de 23-03-2009, uma pequena crónica que tomo a liberdade de transcrever:

Vaticano pondera boicote a 'Anjos e Demónios'

de Luís Filipe Rodrigues

Cinema.
Prequela de 'O Código Da Vinci', de Ron Howard, tem estreia agendada para o dia 14 de Maio.

No início do mês, a Liga Católica Americana anunciou que ia lançar uma campanha contra o filme Anjos e Demónios, de Ron Howard. Agora, é o Vaticano que pondera boicotar a prequela de O Código Da Vinci, a daptação do livro homónimo de Dan Brown, com estreia agendada para 14 de Maio.

Segundo o jornal La Stampa, o Vaticano vai aconselhar os seus fiéis a não verem o filme. Contudo, o arcebispo Velasio de Paolis considera que esta medida pode ser contraproducente, uma vez que chamará as atenções para a fita, aumentando a sua visibilidade.

Foi isso que aconteceu com O Código Da Vinci, que apesar das críticas da Santa Sé se tornou um sucesso de bilheteira, gerando 560 milhões de euros.

---

De facto, lá diz o ditado: O fruto proibido é sempre o mais apetecido...
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2678
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Ter Mar 31, 2009 11:47     Assunto : Responder com Citação
 
Tomo a liberdade de aqui trazer alguns livros da Editora Occidentalis que me foram enviados gentilmente por mail:

Vai ser lançado a 13 de Abril o livro:

Aqui D’El-Rei

De: João Mattos e Silva \ Dom Vasco Teles da Gama \ Nuno Pombo \ Maria da Conceição Mascarenhas \ Raul Bugalho Pinto

Da Editora: Occidentalis

«Aqui d’El Rei é o título deste belo livro de João Mattos e Silva, Vasco Telles da Gama, e Nuno Pombo e que poderia ter como subtítulo “Dez anos de testemunhos monárquicos”.

Trata-se, desde logo, de um exemplo de persistência. Dos artigos que os autores lançaram desde Maio de 2000 na comunicação social, escrita e digital, surge agora uma escolha pautada pelo equilíbrio dos temas. É, também, um exemplo de atitude cívica porque quem afirma “Eu monárquico sou e me confesso” mostra aqui um testemunho permanente e que “começa em nossas casas”.

Os autores são monárquicos que se confessam como tal, mas dizem das suas razões ao aflorar temas como a chefia de estado, o centenário da República, a identidade nacional, o regicídio, as relações com Espanha, e muitos outros, em disquisições mais abstractas ou em comentários de factos políticos.»

---

Já lançados:

Portugal, os Mestres e a Iniciação

De: Vitor Manuel Adrião

Da Editora: Occidentalis

Portugal, os Mestres e a Iniciação prefigura-se no pensamento teúrgico e teosófico onde o autor, Vitor Manuel Adrião, faz desfilar a modo de cartilha ou manual a Tradição Iniciática das Idades com insistência para a Espiritualidade Portuguesa vista à luz da Teurgia e da Teosofia.

Obra crítica onde Filosofia, História, Arte e Religião são apresentadas, numa linguagem clara e desocultada, segundo os créditos de uma Tradição Única exposta de maneira inédita numa sequência lógica esclarecedora de muitíssimos aspectos da existência dos seres, do mundo e do universo em que se vive, os quais teimavam em manter-se na escuridão do inexplicável.

Com efeito, este livro, inscrevendo-se na linha teosófica de Helena Blavatsky, Henrique José de Souza e Mário Roso de Luna, traz à luz do esclarecimento assuntos todos eles empolgantes e raramente aprofundados pelos próprios teosofistas, como sejam: desde a origem do Universo e do Homem até à problemática da sexualidade, vista pelas religiões e pelos esoteristas, o mistério dos Mundos Subterrâneos e o “Triângulo Místico” português, a Sinarquia e as políticas subversivas, a Teosofia dos portugueses Visconde de Figanière e Fernando Pessoa, o Ocultismo oriental e ocidental, até à Cabala Musical e à misteriosa Fraternidade Espiritual Portuguesa, dentre milhares de temas repartidos por 30 capítulos feitos das “cartas teosóficas” do autor desde 1972 até 2007.

----

O Colonialismo de Salazar

De: Pedro Miguel Sousa

Da Editora Occidentalis

Vários anos após o desaparecimento do Estado Novo há, normalmente, na sociedade portuguesa duas visões sobre este assunto: os que o classificam como um regime negro da nossa História recente e os que o elogiam por ter proporcionado uma longa época de paz social, de progresso económico e de restauração de valores nacionais.
A ideologia colonial foi um aspecto marcante no pensamento e acção de António de Oliveira Salazar, figura preponderante do Estado Novo e foi, igualmente, tema de grande destaque na propaganda patrocinada pelos órgãos deste regime.
Falar do Colonialismo continua a ser também uma questão que divide a sociedade portuguesa. Assim sendo, as problemáticas que aqui trazemos, Salazar e o Colonialismo são duas questões complexas, como já se percebeu.
Contudo, deve referir-se que não pretendemos deixar registadas todas as posições sobre estes complexos assuntos. Muito menos ditar uma verdade absoluta e encerrar os problemas.
Oferece-se nesta obra um contributo para compreender a ideologia colonial portuguesa e, ao mesmo tempo, mostrar que este foi um aspecto marcante no pensamento e na acção política de Oliveira Salazar.
Inclui a publicação do texto oficial do Acto Colonial, de 1930, que há muito tempo deixou de fazer parte dos circuitos de impressão…

O Autor:
Pedro Miguel Almeida e Sousa é natural de Mafamude, Vila Nova de Gaia. Licenciado pela Univ. Portucalense Infante D. Henrique, no Porto, em 2004. Professor de História do Ensino Básico e Secundário. Prémio Fundação Engenheiro António de Almeida, atribuído aos melhores alunos com a melhor média no curso de Ciências Históricas, da Univ. Portucalense Infante D. Henrique.

---
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Patena
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 678

Mensagem Enviada: Ter Mar 31, 2009 13:46     Assunto : Responder com Citação
 
Beladona escreveu:
Caro Patena,

Sobre o filme baseado no livro "Anjos e Demónios" de Dan Brown, saiu no jornal DN de 23-03-2009, uma pequena crónica que tomo a liberdade de transcrever:

Vaticano pondera boicote a 'Anjos e Demónios'

de Luís Filipe Rodrigues

Cinema.
Prequela de 'O Código Da Vinci', de Ron Howard, tem estreia agendada para o dia 14 de Maio.

No início do mês, a Liga Católica Americana anunciou que ia lançar uma campanha contra o filme Anjos e Demónios, de Ron Howard. Agora, é o Vaticano que pondera boicotar a prequela de O Código Da Vinci, a daptação do livro homónimo de Dan Brown, com estreia agendada para 14 de Maio.

Segundo o jornal La Stampa, o Vaticano vai aconselhar os seus fiéis a não verem o filme. Contudo, o arcebispo Velasio de Paolis considera que esta medida pode ser contraproducente, uma vez que chamará as atenções para a fita, aumentando a sua visibilidade.

Foi isso que aconteceu com O Código Da Vinci, que apesar das críticas da Santa Sé se tornou um sucesso de bilheteira, gerando 560 milhões de euros.

---

De facto, lá diz o ditado: O fruto proibido é sempre o mais apetecido...


Cara Beladona,

Nós, os apreciadores do trabalho de Dan Brown, já esperavamos que isto fosse acontecer.
O livro Anjos e Demónios, foi escrito antes de O Código da Vinci e nas investigações para o primeiro Dan Brown foi recebido pelo Papa João Paulo II no Vaticano, que ordenou a um curador que o conduzi-se pela Cidade, em que este visitou locais que as vezes nem os Principes da Igreja visitam.O livro Anjos e Demónios foi na altura aclamado pela Igreja.
Posteriormente com a edição do romance ficcional Código da Vinci, que ao nível da intriga é genial, a igreja curtou relações com o autor, porque esta uma vez mais na história não soube distinguir uma obra de ficção da realidade.

Realmente é pena que a igreja se insira nestes moldes.
Todos sabemos que, tradicionalmente, o sistema politico no Vaticano é uma Monarquia Absoluta Electiva, no entanto o Papa é ainda assistido pelo Colégio Cardinalicio.
No entanto, tenho uma leve impressão que dentro daqueles altos muros, o Papa levou o facto de o sistema politico ser absolutista, a pratica.
_________________
PauloPatena
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail MSN Messenger

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2678
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Qui Abr 02, 2009 18:26     Assunto : Responder com Citação
 
Tomo a liberdade de aqui trazer o livro que foi hoje dia 02-04-2009 lançado e que me foi enviado gentilmente por mail a sua promoção, cujo título é:

Rainha Sofia - fala da sua vida

Autores: Cármen Enriquez e Emilio Oliva

Da: Ésquilo Edições e Multimédia
multimedia@esquilo.com
www.esquilo.com

---

O Livro.
Nos depoimentos aos autores a Rainha fala sobre o seu passado (é um autêntico documento histórico), presente e do modo como enfrenta o futuro, não se furtando a responder a nenhuma pergunta. Nesta longa entrevista aborda ainda a separação da infanta Elena, sua filha mais velha, o futuro da monarquia espanhola e a relação da família real com a comunicação social. A rainha não hesita a considerar a mulher do príncipe Felipe, como uma pessoa “muito, muito inteligente”, que “sabe perfeitamente o que tem que fazer”. Na conversa que teve com os dois jornalistas, Sofia destaca também a boa relação que mantém com Letizia. “Falamos muito e ajudamo-nos muito. E eu também tiro proveito das suas opiniões, porque me dão um ponto de vista diferente, que vem de fora do nosso próprio círculo”, revela, confirmando que a cumplicidade que ambas mostram em público se manifesta também nos bastidores. Ao texto juntam-se diversas fotografias, algumas inéditas e provenientes do próprio álbum pessoal da Rainha.

---

«Não tolero a violência. Sob nenhuma forma. A violência machista é lamentável, terrível, deveria ser banida da nossa sociedade. (…) É algo degradante e, também, um problema de cultura, de educação, de respeito pelo próximo. O paradoxal disto é que ocorre tanto no mundo desenvolvido como no Terceiro Mundo. A situação actual no mundo entristece-me. Existem problemas em muitas zonas, demasiados, eu diria. (…) O egoísmo é responsável por muitos problemas. Existe hoje pouca capacidade e pouco espírito de sacrifício para com o nosso semelhante.»

Rainha Sofia

---

Sobre os autores:

Carmen Enríquez

Jornalista e escritora nascida em Berja, Almería. Licenciada em História pela Universidade Complutense de Madrid e diplomada em Jornalismo pela Escola Oficial de Madrid. Desenvolveu toda a sua vida profissional na Televisão Espanhola, meio no qual foi correspondente para a Casa Real de 1990 a 2007. É autora do livro Tras los pasos del Rey, que recolhe experiências e reflexões sobre o seu trabalho de seguimento da Família Real.

Emilio Oliva

(Múrcia, 1949). É jornalista de uma só empresa, a Agência EFE, para a qual desde 1976, tem sido delegado ou correspondente no México, Peru e África do Sul, Porto Rico, Canárias e Murcia. Ocupou também nesta empresa os postos de chefe de Informação Política, redactor-chefe, director da secção Nacional e, durante oito anos, responsável de Informação da Casa Real.
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2678
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Qua Abr 15, 2009 17:56     Assunto : Responder com Citação
 
Foi-me gentilmente enviado por mail pelo Jose Carvalho <josecarvalho79@gmail.com>, mais uma promoção de um livro que tomo a liberdade de aqui colocar:

A Apresentação da obra Nuno Álvares Pereira – A demanda do Mestre de Avis e a vida do Santo Condestável, da escritora Isabel Ricardo, vai realizar-se na FNAC Chiado, no dia 17 de Abril de 2009, às 19:00 horas.

NUNO ALVARES PEREIRA – A DEMANDA DO MESTRE DE AVIS E A VIDA DO SANTO CONDESTÁVEL

De: Isabel Ricardo

Da: Planeta Editora


Sobre o livro:

Nuno Álvares Pereira – A demanda do Mestre de Avis e a vida do Santo Condestável, é a obra eminente que declara como causa retratar a época, os factos e figuras históricas, em particular, a vida de D. Nuno e a personalidade do homem, chefe militar, estratega de batalhas, personagem heróica, figura histórica e benfeitor, que arrebatou as gentes de boa fé do tecido social e político português. Na esteira de uma crise dinástica que D. Nuno soube enfrentar com audácia e sapiência, é de suma importância que todos os leitores portugueses possam testemunhar e revigorar a virtuosidade e os valores que regeram a conduta do Santo Condestável perante as vicissitudes da sua vida, feitos militares, familiares, sociais e conventuais. Uma incitação literária para uma sociedade mais justa e fraterna. Um forte apelo para a dignificação da vida, de um melhor humanismo partilhado, através duma reflexão conciliadora de lealdade para com a identidade do país, que ajuda a responder aos desafios do tempo presente.

---

Comentário sobre o livro do Sr. Dr. Alexandre Patrício Gouveia

«A figura de Nuno Álvares Pereira é hoje tão actual como em 1385. Tendo vivido num momento em que o seu País atravessava um período de grandes dificuldades políticas e económicas, não desanimou. Soube lutar e contribuir para que Portugal e o povo português pudessem ter um futuro melhor. Actuou com inteligência, eficácia e determinação, mas fê-lo demonstrando sempre um grande amor pelo seu próximo. Esta sua última característica, permitiu que tivesse sido reconhecido como santo, em Abril de 2009.

A sua força interior emanava essencialmente de dois grandes valores: Um grande amor por Portugal e pelo povo português, que serviu, sem reservas, enquanto a situação o exigiu. Mas também uma grande fé em Deus e devoção a Nossa Senhora, cujas imagens sempre transportou no seu estandarte.

Ao descrever, de forma muito interessante e instrutiva, o comportamento dos líderes portugueses e do povo português, no período de 1383 a 1431, a Isabel Ricardo chama a atenção para a dupla responsabilidade que todos nós temos. Com efeito, os caminhos que escolhemos e as opções que tomamos, afectam não apenas as nossas próprias vidas, mas reflectem-se também no desenvolvimento e no futuro de Portugal.»
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2678
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Dom Abr 19, 2009 20:01     Assunto : Responder com Citação
 
Tomo a liberdade de aqui trazer um livro que acho interessante:

A Vida Emocional dos Animais

De: Marc Bekoff

Da editora: Estrela Polar

"Os animais não são apenas os companheiros com os quais vivemos, que cuidamos e que amamos. São também os outros milhares de milhões de animais domesticados que vivem em quintas e matadouros e nos fornecem comida e vestuário", alerta Marc Bekoff. e prossegue: "Pergunto muitas vezes aos investigadores que trabalham em quintas de criação intensiva: 'Faria isso ao seu cão?' algumas pessoas ficam apreensivas com esta questão, mas é uma interrogação importante. Se não fazemos aos animais nossos companheiros uma coisa que fazemos diariamente a ratos, ratazanas e macacos, porcos, vacas, elefantes, chimpanzés e mesmo cães e gatos que não conhecemos, devemos perguntar-nos porquê." Para o cientista a resposta é só uma. Silenciamos os sentimentos dos animais.

---

Trago também esta biografia histórica:

D. Maria - A Rainha Louca

De: Luísa V. de Paiva Boléo

Da editora: A Esfera dos Livros

Livro obrigatório para quem gosta de biografias ou se interessa pelo século XVIII. O segredo advém do bem conseguido equilíbrio entre a vida da biografada e a sua contextualização histórica. Com uma linguagem simples, mas estruturada, e um ritmo invulgar em livros do género, a autora transporta-nos para a época de D. Maria I, ajuda-nos a compreendê-la e ensina-nos muito sobre o portugal de então...

---
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2678
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Ter Abr 21, 2009 18:15     Assunto : Responder com Citação
 
Por achar de interesse tomo a liberdade de transcrever um mail que recebi a promover estes 2 volumes da:

www.guardamor.com.pt
www.geneall.net

Tínhamos anunciado, aquando da divulgação dos Índices dos Processos de Habilitação para Familiar do Santo Ofício, a publicação em Março-Abril dos "Índices dos Processos dos Tribunais do Santo Ofício de Coimbra, Évora e Lisboa". Entre os cerca de 42.000 aí referidos, o acesso a cerca de 1.000 processos cuja leitura era indispensável para dar por concluído aquele trabalho acabou, no entanto, por ser mais lento do que inicialmente previsto.Vimo-nos por isso forçados a alterar a nossa programação editorial e adiar, em princípio por dois meses, o lançamento daquela publicação. Com lançamento já agendado para Maio, apresentamos agora

Livros de Matrículas

De: Moradores da Casa Real - 2 vols.

Da: www.guardamor.com.pt
www.geneall.net


O incêndio que se seguiu ao grande terramoto do primeiro de Novembro de 1755 e teve os efeitos devastadores que são bem conhecidos destruiu, entre muita outra documentação, os Livros de Registos dos Moradores da Casa Real, de que "havia nesta Secretaria mais de oitenta livros, todos encadernados em pergaminho, que serviram mais de duzentos annos a esta parte", como se refere no Livro Primeiro do "Registo dos Alvarás, Cartas de Propriedade de Ofícios e Apostilas que principiou em Dezembro do ano de 1755", citado por Nuno Gonçalo Pereira Borrego na Introdução ao seu magnífico trabalho sobre aquele Fundo da Torre do Tombo publicado em 2007 e aqui amplamente divulgado.

Em boa verdade, um anterior incêndio, ocorrido em meados de 1680, tinha já destruído os livros de matrícula dos Moradores da Casa dos Reis D. João IV e D. Afonso VI mas este último, por um decreto providencial datado de 10 de Outubro de 1682, determinara que, “por se entender que se pode remediar este danno com o Registo das Secretarias de Estado, Mercês e Expediente da Matriculla, do Conselho Ultramarino, das Chancelarias do Reyno e das Ordens, da Torre do Tombo e dos Contos da Chancelaria que estão nos Contos” se procurasse, com a maior celeridade, “reconstituir listas, com seus Alfabetos, de todas as Mercês q nos ditos livros se acharem registadas, com os nomes das pessoas a q se fizerão, e rellações dos serviços e acções de cada huma”.

Essa tarefa, superiormente dirigida pelo Mordomo-Mor, D. João da Silva, marquês de Gouveia e executada por Lourenço Taveira Soares, foi prontamente levada a cabo e deu origem a seis novos livros que acabaram por escapar à fúria destruidora do fogo de 1755. Tal como determinava o decreto, neles se registaram não só os alvarás, cartas, mercês e apostilas de foros e ofícios da Casa Real reconstituídos a partir das diferentes fontes como serviram, dessa data em diante, para neles se prosseguir, nos reinados seguintes, os registos da mesma natureza. Data de 1744 a última referência que aí está registada. Ainda assim, exceptuando um hiato de 11 anos – entre 1744 e 1755 – que se terá perdido em 1755, estes Livros de Matrícula dos Moradores da Casa Real cobrem, em conjunto com a “Mordomia da Casa Real”, os 270 anos que durou a Dinastia Brigantina.

Sobre esta importante informação, publicou a Torre do Tombo em dois volumes, um em 1911, outro em 1917, sem indicação de autor nem qualquer nota explicativa sobre o fundo a que se referia, o "Inventário dos Livros das Matriculas dos Moradores da Casa Real". Seguramente com uma muito reduzida tiragem, este trabalho está praticamente inacessível aos investigadores em geral, já que próprio exemplar existente na Biblioteca Nacional só após uma segunda insistência foi trazido à leitura, sendo primeiro alegado o seu mau estado de conservação para que pudesse ser disponibilizado.

São razões de peso para que Luís Amaral tenha tomado a iniciativa de os transcrever, confrontá-los com os originais, introduzir correcções e actualizar a grafia, acrescentando-lhe também uma nótula histórica sobre a origem deste fundo da Torre do Tombo. Enriquecido com um prefácio de D. Pedro da Costa de Sousa de Macedo (Vila Franca), os Livros de Matrícula dos Moradores da Casa Real - Foros e Ofícios - 1641-1744 - que o Guarda-Mor agora vai editar em 2 volumes, reproduz as mais de 8.000 súmulas aí contidas que incluem o nome do beneficiário, filiação, naturalidade, cargo, ofício ou mercê concedidas e respectivas datas, além de completos índices onomásticos, geográficos e analíticos.

Com o lançamento previsto para o próximo dia 25 de Maio, esta obra em dois volumes de 650 páginas em formato A4 e capa dura está a partir de hoje e até ao próximo dia 15 de Maio em fase de subscrição pelo valor total de 85 euros, sendo comercializada por 95 euros após esta data.
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Beladona
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2678
Local: Algarve
Mensagem Enviada: Ter Abr 21, 2009 18:31     Assunto : Responder com Citação
 
in: DN de 21-04-2009

Novo Dan Brown vai ter edição de cinco milhões

O próximo livro do escritor Dan Brown, de novo tendo como herói o professor Robert Langdon, intitulado The Last Symbol, vai ser publicado nos EUA e no Canadá a 15 de Setembro, pela Doubleday, com uma primeira edição de cinco milhões de exemplares. A notícia foi dada ontem por Sonny Mehta, o presidente do grupo editorial Knopf Doubleday, acrescentando: "É um grande dia para leitores e livreiros". Brown já completou o manuscrito de The Last Symbol, segundo fontes da editora. E enquanto não se estreia Anjos e Demónios, o filme seguinte a O Código Da Vinci, mais uma vez realizado por Ron Howard e interpretado por Tom Hanks (dia 14 de Maio em Portugal), os estúdios da Columbia já garantiram os direitos para cinema de The Last Symbol.
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail

Patena
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 678

Mensagem Enviada: Ter Abr 21, 2009 18:35     Assunto : Responder com Citação
 
Finalmente !!

Laughing Laughing
_________________
PauloPatena
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail MSN Messenger