Monarquicos.com Monarquicos.com Fórum Monarquicos.com Vídeos Monarquicos.com Adicionar aos Favoritos
Registar Registe-se neste Fórum (Gratuito)   Entrar Entrar no Fórum
Data: Sáb Dez 07, 2019 14:26
Índice do Fórum : Rosário Poidimani

Ir à página 1, 2, 3, 4  Próximo

Patena
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 678

Mensagem Enviada: Dom Set 28, 2008 20:32     Assunto : Responder com Citação
 
...
_________________
PauloPatena

Editado pela última vez por Patena em Qua Mai 21, 2014 18:50, num total de 1 vez

 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail MSN Messenger

Rui Monteiro
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 139

Mensagem Enviada: Seg Set 29, 2008 13:13     Assunto : Responder com Citação
 
Este vídeo sim Smile


 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

Patena
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 678

Mensagem Enviada: Ter Set 30, 2008 21:42     Assunto : Responder com Citação
 
...
_________________
PauloPatena

Editado pela última vez por Patena em Qua Mai 21, 2014 18:50, num total de 1 vez

 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail MSN Messenger

iznoguud
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2768

Mensagem Enviada: Qua Out 01, 2008 11:21     Assunto : Responder com Citação
 
Encontrei este vídeo no YouTube o qual considero interessante para esta temática...



Onde a Sra em causa afirma que aquando do Regicídio se encontraria em Vila Viçosa e que logo após o mesmo, a Rainha D. Maria Pia a teria feito sair do País.

Igualmente a Sra afirma que é Infanta, por decreto, desde o 14 de Março de 1907 (que seria o dia a seguir ao seu nascimento).

Indicando igualmente que, poucas horas após o seu nascimento. El Rei D. Carlos, no Paço das Necessidades passa um documento onde entrega os direitos e obrigações advindos de uma Infanta à mesma. Assinando como "Carlos I El Rei", sendo que terá sido esta a procuração que D. Afonso, Duque do Porto teria levado a D. Afonso XIII, Rei de Espanha para que este pudesse efectuar o baptismo.

Aqui começam as minhas dúvidas Laughing

1º SE El Rei D. Carlos, por decreto, eleva a Sra em causa à condição de Infanta de Portugal, então é porque esta teria sido aceite pelo Rei e logo obrigatoriamente pela Família Real Portuguesa.
Porque é que aquando do exílio da Família Real Portuguesa no Reino Unido, estes não a chamam para junto de si?

Em especial quando, segundo foi afirmado, teria sido a Rainha D. Maria Pia a enviar a Sra em causa para o estrangeiro por forma a salvaguardar a continuidade da Família Real Portuguesa, ou seja, que esta (Família Real Portuguesa) a teria aceite enquanto membro da mesma.

2º SE El Rei D. Carlos, eleva a Sra em causa à condição de Infanta num Documento passado no Palácio das Necessidades e com as necessárias chancelas. Porque razão é que foi necessário que o Infante D. Afonso, Duque do Porto, se dirigisse ao Rei de Espanha, D. Afonso XIII para que este pudesse então baptizar a Sra em causa (fora do País leia-se), se esta se encontrava em Portugal e se esta tinha acabado de ser reconhecida por El Rei D. Carlos enquanto Infanta de Portugal? Bastaria à mesma ser baptizada em Portugal com a devida pompa devido a uma Infanta, fosse esta à altura fruto de uma relação extra conjugal ou não!

3º Peço que olhem para as duas anteriores questões em separado e analisem as respostas lógicas às mesmas e agora olhem para as duas anteriores perguntas no seu conjunto e procurem analisar as mesmas respostas e se se lembrarem mais algumas.

A minha pergunta fica-se então pelo seguinte... Para quê complicar algo que aparentemente teria sido tão simples?

A ser verdade bastaria ter...

a) Nasce...
b) reconhece...
c) baptiza...
d) integra na Família Real...
e) regicídio...

E não como aparenta ter acontecido...

a) Nasce...
b) reconhece...
c1) Pede a um Rei estrangeiro que baptize...
e) regicídio...
f) fuga para Espanha ordenada por 1 elemento da Família Real (o que implica o d) integra na Família Real algures no campeonato)

Sem contarmos com o facto de o baptismo ter sido ou não presencial, o que levantaria a questão... mas então ou a dita Sra andava a passear entre Portugal e Espanha em tão tenra idade ou assim que saiu de Portugal, nunca mais regressou... o que levanta a questão de como é que esta teria, então, sido enviada para Espanha logo após o regicídio!

Mas que salganhada...

Por isto tudo, para além de muito mais coisas, eu não conseguir dar nenhuma credibilidade a esta pseudo pretensão, indiferentemente de respeitar ou não aqueles que se identificam na mesma.

IzNo
_________________

 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

Rui Monteiro
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 139

Mensagem Enviada: Qua Out 01, 2008 14:42     Assunto : Responder com Citação
 
Anastácia foi provado que era mentira, fizeram um exame de DNA e chegou-se à conclusão de que a impostora era uma poláca e nada tinha a ver com os Romanov.
Por isso se os apoiantes dessa causa se são tão honestos provem que pelo DNA D.Maria Pia é mesmo descendente de D.Carlos.
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

longair
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 2192
Local: Odivelas/VFX
Mensagem Enviada: Qua Out 01, 2008 21:07     Assunto : Responder com Citação
 
Boa resposta. Mr. Green
_________________
C. Longair
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Utilizador

Patena
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 678

Mensagem Enviada: Qua Out 01, 2008 21:55     Assunto : Responder com Citação
 
...
_________________
PauloPatena

Editado pela última vez por Patena em Qua Mai 21, 2014 18:51, num total de 1 vez

 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Enviar E-mail MSN Messenger

longair
Monárquico
Monárquico


Offline
Mensagens: 2192
Local: Odivelas/VFX
Mensagem Enviada: Qua Out 01, 2008 22:17     Assunto : Responder com Citação
 
hehehe isto está a aquecer, optimo :)mas ja vi á venda em hasta publica titulos nobiliarquicos Smile e claro também existem aqueles que fazem uso de qualquer titulo so por ser chique e poder sair nas colunas sociais ou se conseguir ser aceite no café mais in da esquina Wink Mr. Green
_________________
C. Longair
 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular Visitar a homepage do Utilizador

iznoguud
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2768

Mensagem Enviada: Qui Out 02, 2008 10:48     Assunto : Responder com Citação
 
Patena escreveu:
Em relação ao teste de ADN é o que mais desejamos e no livro de Jean Pallier a filha de D. Maria já se disponibilizou.


E para quando é que se avança com um teste? Creio que o JTMB já tinha disponibilizado o lenço no qual o seu bisavõ afirma ter o sangue d'el Rei D. Carlos!

Patena escreveu:
Em relação às questões do Paulo, basta ver que SAR. D. Maria Pia não está a mentir, mas a reproduzir a história dos acontecimentos como alguém lhe contou, a sua mãe, o seu avô? Quem sabe? Porque obviamente sendo praticamente recém nascida, não podia ter ter consciencia dos actos praticados pelos seus familiares.
E obviamente que só muito mais tarde alguém lhe contou a sua versão dos acontecimentos que ela reproduz na entrevista e que com as eventuais discrepancias de quem conta algo que lhe contaram.


Meu caro, com a idade que a Sra tinha à altura da entrevista, já mais que saberia que a versão que estava ali a contar tinha discrepâncias e que poderia não corresponder à verdade histórica.

Mas SE a mesma poderia NÃO corresponder à verdade histórica, então o que poderemos considerar que corresponda à verdade histórica?

O meu caro afirma que a Sra está a "...reproduzir a história dos acontecimentos como alguém lhe contou...".
História esta a qual o meu caro afirma que "...com as eventuais discrepancias de quem conta algo que lhe contaram...", ou seja assume que a mesma não seja verdadeira na sua parcialidade ou totalidade.

Meu caro, não vou entrar por questões de veracidade mas irei afirmar o seguinte, a Sra em causa APENAS conta aquilo que lhe contaram e como lhe contaram e na qual ela, aparentemente, acreditará. Mas isso não prova nada!
Também na minha família se falam de histórias relativas a serviços prestados à Família Real e o que quer isso dizer?

Tudo isto apenas para dizer que as discrepâncias do seu discurso, o qual foi proferido pela mesma na plena posse das suas faculdades e serve como prova. São, quanto a mim, cabais para demonstrar que TUDO não passa de um embuste real ou imaginário.

Patena escreveu:
Mas nada inviabiliza os acervo documental que certifica SAR. Como filha legitimada de D. Carlos I.


Como não! Falsificação de documentos é a coisa mais fácil que existe... Olhe para Alves dos Reis, o qual preparou um contrato fictício e conseguiu que este contrato fosse reconhecido notarialmente. Através de terceiros, obteve também a assinatura do Cônsul Português em Haia. Conseguiu ainda que o seu contrato fosse validado pelos consulados da Inglaterra, da Alemanha e França. Traduziu o contrato em francês e falsificou assinaturas da administração do Banco de Portugal.

E assim conseguiu que uma Empresa LEGITIMA lhe imprimisse as Notas de 500 Escudos.

Os documentos a validar o pedido deste ERAM reais, as notas ERAM reais, TUDO era real com a EXCEPÇÃO do documento que deu origem a tudo.

Agora diga-me... esse "acervo" o que é que prova?

- As discrepâncias continuam a ser válidas!

- Documentos, supostamente, assinados por D. Afonso XIII de Espanha como "...Alfonso XIII..." quando este assinava a sua correspondência como "...Yo El Rey..." também não levantam nenhumas dúvidas como o meu caro sabe.

- Documentos de baptismo da Sra em questão passados por uma Igreja de Madrid, que convenientemente já não existe, no qual o Pai da mesma Sra aparece sob um nome que não o seu ou que nunca foi usado pelo mesmo, não esquecendo de que haveria uma PROCURAÇÃO assinada pelo mesmo a pedir a D. Afonso XIII de Espanha para avançar com este Baptismo... Seria de esperar, pelo menos, que QUEM representasse o Rei de Portugal ou pelo menos o Rei de Espanha soubesse como se chamaria o Rei de Portugal, supostamente o Pai da menina em causa. MAS isto, uma vez mais não levanta NENHUMA dúvida ao meu caro!

Lol...

Patena escreveu:
Melhor fariam os Duartistas, justificar os actos do avô de Duarte Pio a ceder direito à coroa que não tinha ,ao seu filho Duarte Nuno, estando D. Manuel II vivo e bem vivo! Se deixassem de ser cegos e facciosos, rápidamente se fazia luz nas vossas cabeças duras!


Mas meu caro... SE a Sra em causa, que não é reconhecida por ninguém enquanto Duquesa de Bragança ou qualquer outra coisa, pôde ceder os "seus" direitos ao Sr. Rosário Poidimani, para não falar de atribuir Ordens e outras coisas restritas à Casa de Bragança, APENAS porque se achava legítima representante da Casa de Bragança.

Porque é que D. Miguel (II), o qual sinceramente se achava legítimo Rei de Portugal, não poderia fazer o mesmo? Não consigo compreender a sua lógica!


Patena escreveu:
Se D. Maria Pia não fosse efectivamente filha de D. Carlos, como justificam os senhores que a sua filha e seus netos usem legalmente os apelidos reais?


Lol... E o meu caro considera isso demasiado complicado de conseguir?

Dou-lhe um exemplo vivo... o meu!

Eu tenho enquanto um dos meus apelidos o nome de "Especial", posso-lhe afirmar que este nome terá pouco mais de 200 anos, ou seja um nome ainda bastante recente para aqueles que se interessam por estas temáticas.

EU sei o porquê da existência do mesmo, o que levou a este, etc. e sei o porque é que o mesmo passou a ser usado em SUBSTITUIÇÃO do que anteriormente nos pertencia.

E o que prova isso? De interesse para este caso apenas que ainda não há muito tempo atrás se podia alterar apelidos sem grande complicação.

Um abraço,

IzNo
_________________

 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular

iznoguud
Regente
Regente


Offline
Mensagens: 2768

Mensagem Enviada: Qui Out 02, 2008 11:02     Assunto : Responder com Citação
 
Rui Monteiro escreveu:
Anastácia foi provado que era mentira, fizeram um exame de DNA e chegou-se à conclusão de que a impostora era uma poláca e nada tinha a ver com os Romanov.
Por isso se os apoiantes dessa causa se são tão honestos provem que pelo DNA D.Maria Pia é mesmo descendente de D.Carlos.


É bom ver que quando há interesse, se consegue argumentar ou rebater sem o recurso à descida de nível.

Espero que as suas participações mantenham o mesmo nível que a presente.

Abraço,

IzNo
_________________

 
Voltar ao Topo
Ver o perfil de Utilizadores Enviar Mensagem Particular