Pseudo - Cortes do monarquicos.com

Espaço dedicado a uma proposta concreta sobre um Modelo alternativo de Regime para Portugal

Moderador: Beladona

Responder
Avatar do Utilizador
iznoguud
Regente
Regente
Mensagens: 2768
Registado: 23 de abril de 2007 às 09h40

Pseudo - Cortes do monarquicos.com

Mensagem por iznoguud »

No monarquicos.com inicia-se hoje uma fase na qual procuramos preparar caminho para que eventualmente num futuro, o qual desejamos que seja próximo, possam vir a acontecer Cortes.

No entanto a última vez que estas ocorreram, Portugal ainda se encontrava em Monarquia e desde então muita coisa mudou em Portugal.

Assim a temática deste tópico será o de apresentar perguntas, às quais tentaremos responder mediante debates/discussões para então apresentarmos um Documento Final com as opiniões que saíram dos mesmos relativas às dúvidas que nos forem expostas.

Espero que os debates/discussões decorram no princípio do maior respeito por todos e pelas opiniões destes, para além de que gostarei de ressalvar o interesse de que este estudo se reveste.

Procurarei endereçar um convite a outros espaços para a participação dos mesmos, através de membros inscritos, ou através do envio de e-mails para o mail da administração :

geral@monarquicos.com

Pedindo apenas que os mesmos indiquem a sua origem, quem os envia e de preferência que sejam sucintos (quando for possível) e correctos.

IzNoGuud

Avatar do Utilizador
iznoguud
Regente
Regente
Mensagens: 2768
Registado: 23 de abril de 2007 às 09h40

Mensagem por iznoguud »

Aproveito para passar já 2, aumentadas para 4, questões do nosso caro Sequeira:
Sequeira Escreveu:1ª Eleição das Cortes que confirmam ou aclamam o pretendente que por eles (deputados às Cortes) reune as melhores condições. E pronto fica o processo terminado.

2ª Colocação de candidatos seleccionados pelas Cortes à consideração dos eleitores, em plebiscito, como se fosse um Presidente. Só que a partir daí funcionava a hereditariedade.
Falando agora nas próximas duas perguntas de como é que deveriam ser escolhidos aqueles que deverão integrar as Cortes, surgiram 2 novas perguntas.
Sequeira Escreveu:Fazendo equivaler Cortes ao Parlamento (seja Português, Inglês ou Espanhol) trata-se de uma Assembleia de cidadãos, eleitos por outros cidadãos mediante duas condições:

Os potenciais eleitos apresentam-se ou são apresentados por outrém.

Os eleitores exercem o voto para essa determinação .
Optei por numerar as Perguntas, pois assim quando se iniciar a responder, o mais certo é que em pouco tempo (espero) tenhamos de criar tópicos para cada questão e assim será mais fácil verificar onde as respostas pertencem... por isso sugiro que nas respostas se indique o número da Pergunta efectuada.

IzNoGuud

P.S. - Ao acrescentar aquelas que considerei enquanto as 3ª e 4ª perguntas do nosso caro Sequeira, editei o texto do mesmo na citação acrescentando uma linha de intervalo entre as perguntas e substituindo os travessões pelos números das mesmas. As minhas desculpas pela edição .

Avatar do Utilizador
iznoguud
Regente
Regente
Mensagens: 2768
Registado: 23 de abril de 2007 às 09h40

Mensagem por iznoguud »

Aproveitando para passar para aqui as minhas respostas quanto à pergunta 1 e 2.

- Na minha opinião , apenas confirmam o pretendente. A aclamação a ocorrer deverá acontecer mediante o Parlamento ou equivalente deste.

Daí crer que é possível fechar a questão da sucessão em definitivo, ainda que sob uma República. Pois se as Cortes apenas "validam" aquele que deverá ser o Sucessor no Trono de Portugal, neste caso o iniciador de uma Nova Dinastia. O aclamação apenas ocorreria quando os Portugueses se pronunciassem por uma Monarquia, com o Órgão representativo dos mesmos a efectuar a dita aclamação .

Desta forma, apesar de estarmos em República, poderíamos ter um Sucessor definido ou ainda melhor uma nova Dinastia já escolhida, a qual apenas esperaria pelo desejo dos Portugueses para Reinar, ao mesmo tempo que ia preparando o caminho necessário para que a mesma pudesse ser encarada enquanto uma possibilidade mas que não entrava em choque, directamente, com a República visto estar a respeitar a Governação desta, enquanto esse fosse o desejo dos Portugueses.

Ao contrário do que temos actualmente, no qual por não termos a questão sucessória definida, perdemos mais tempo e energias a tentar digladiar-mo-nos entre nós em busca de protagonismos, fazendo muitas vezes o trabalho dos próprios Republicanos.

- O meu caro já me conhece bem :lol: Considero este o segundo momento das Cortes conforme indiquei anteriormente.

E uma forçosa necessidade dado os tempos em que vivemos. Não mais podemos dar-nos ao luxo de "descontarmos" com a opinião dos Portugueses. Sendo que convém não nos esquecermos de que não procuramos restaurar uma Monarquia em Portugal, ao contrário do que por muitas vezes afirmemos, eu inclusive. Mas sim instaurar uma Monarquia em Portugal e ao fazermos tal estaremos, creio, a instaurar a primeira Monarquia do Século XXI da Europa, com tudo quanto isso implica.

Ou seja, nada de procurarmos enfiar "trapos" do Século XIX e anteriores na forma de Monarquia que pretendemos para os dias de hoje!

Avatar do Utilizador
longair
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 2205
Registado: 23 de abril de 2007 às 19h51
Localização: Odivelas/VFX
Contacto:

Mensagem por longair »

Concordo com as 4, mas eu dividiria as Cortes em duas Camaras, a Camara Baixa onde se centrariam os representantes politicos eleitos popularmente e a Camara Alta, de apoio e conselho ao Rei constituida por todos os estratos sociais e economicos proporcionais ao espectro da nação também eleitos por voto popular, quero com isto fazer das Cortes o faz tudo na politica nacional, pois faz de Corte e de Assembleia, salvaguardando as respectivas responsabilidades e deveres :mrgreen:
C. Longair

Avatar do Utilizador
iznoguud
Regente
Regente
Mensagens: 2768
Registado: 23 de abril de 2007 às 09h40

Mensagem por iznoguud »

longair Escreveu:Concordo com as 4, mas eu dividiria as Cortes em duas Camaras, a Camara Baixa onde se centrariam os representantes politicos eleitos popularmente e a Camara Alta, de apoio e conselho ao Rei constituida por todos os estratos sociais e economicos proporcionais ao espectro da nação também eleitos por voto popular, quero com isto fazer das Cortes o faz tudo na politica nacional, pois faz de Corte e de Assembleia, salvaguardando as respectivas responsabilidades e deveres :mrgreen:
Mas nesse caso levas as Cortes para uma função equivalente ao presente Parlamento?

Ou seja, que estas não cessam as suas funções após a escolha de aquele que será entronizado Rei de Portugal após a aclamação do mesmo?

Se sim, aproveito para perguntar (e peço que a resposta seja dada no tópico Cortes Passado/Presente/Futuro para não deturparmos o intuito deste tópico) como é que organizarias a Governação (Distribuição de Poderes, etc. e se nessa tua visão haveria um lugar para um Parlamento para além das tais Cortes).

IzNoGuud

Avatar do Utilizador
longair
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 2205
Registado: 23 de abril de 2007 às 19h51
Localização: Odivelas/VFX
Contacto:

Mensagem por longair »

Exacto levo as Cortes para as funções equivalenets a este parlamento, mas como ja tinha dito antes as Cortes estão divididas em duas camaras, a camara baixa que seria o tal parlamento e a alta que funcionaria como conselheira do rei :mrgreen:
C. Longair

Avatar do Utilizador
iznoguud
Regente
Regente
Mensagens: 2768
Registado: 23 de abril de 2007 às 09h40

Mensagem por iznoguud »

Gostava de relançar esta temática, questionando a forma como é que as Cortes deveriam ser compostas actualmente?

Mediante uma eleição de delegados?
Mediante a escolha de especialistas nos mais diversos campos?
Como?

IzNoGuud

Responder