Duarte Pio em risco de perder Nacionalidade

Secção dedicada ao debate sobre D. Duarte Pio de Bragança. Actual chefe da Casa Real Portuguesa.

Moderador: Beladona

Responder
antoniomsousa
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 225
Registado: 20 de fevereiro de 2013 às 13h54

Mensagem por antoniomsousa »

nós compreendemos a vossa irritação e desespero, não só porque o Sr. Duarte Pio perdeu o protagonismo que tinha aqui há tempos nos meios de comunicação como pelo facto de estar com a imagem completamente desgastada
Vê-se!!!.. leia o jornais e veja.. participa em cerimonias, e tudo mais..deve se estar é a referir se ao tal sr rosário.. esse sim nem cartão lhe passam por não ter credibilidade nenhuma..basta ver as "provas" obsoletas.. se nem os tribunais reconheceram isso.. se como diz foi absolvido, ponha aqui imagem do acórdão ..não é mandar ver outras coisas..

com as inúmeras provas que são apresentadas no livro onde obviamente qualquer pessoa fica a pensar " se este tipo é capaz de roubar livros numa biblioteca do estado, kispos a timorenses, etc. coisas de pouco valor, mais facilmente se apodera dum titulo que lhe dá prestigio, heranças e acesso a coisas e lugares aos quais nunca teria chegado quer pela sua formação académica, linguagem, trato, profissão ..."
Se fosse a si teria cuidado com este tipo de declarações.. conselho de "amigo"

António Regedor
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 161
Registado: 1 de dezembro de 2011 às 16h12

Mensagem por António Regedor »

Se o Sr. fosse realmente meu amigo tomaria por bom tal conselho! Assim dispenso-o guarde antes para os seus amigos que ao longo de 7 anos caluniaram com mentiras D. Rosário.

antoniomsousa
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 225
Registado: 20 de fevereiro de 2013 às 13h54

Mensagem por antoniomsousa »

Assim dispenso-o guarde antes para os seus amigos que ao longo de 7 anos caluniaram com mentiras D. Rosário.
não foram calunias.. foram as verdades..custam a engolir mas paciência..então e as calunias, essas sim, que foram dirigidas a D. Duarte Pio e família por esse senhor? pois ele só por ai nem "D" é..

antoniomsousa
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 225
Registado: 20 de fevereiro de 2013 às 13h54

Mensagem por antoniomsousa »

mostre me o acórdão já lhe disse.. você nunca o põe manda sempre para outros lados..

sr regedor tenha vergonha.. você só esta a ajudar a descredibilizar a monarquia e a sua causa com este casos.. este tipo de atitudes revela bem aquilo que a monarquia lhe diz para si.... NADA..

Avatar do Utilizador
Beladona
Regente
Regente
Mensagens: 3004
Registado: 23 de abril de 2007 às 17h13
Localização: Algarve

Mensagem por Beladona »

Caro António Regedor,

Tomei a liberdade de remover o seu post com 2 vídeos de um programa televisivo português para o "Espaço Lúdico e Recreativo" por não se integrarem nesta secção .

Beladona

Trauliteiro
Utilizador
Utilizador
Mensagens: 22
Registado: 10 de julho de 2013 às 19h10

Mensagem por Trauliteiro »

pode-se por o rosarito numa parada em Roma

antoniomsousa
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 225
Registado: 20 de fevereiro de 2013 às 13h54

Mensagem por antoniomsousa »

até prova em contrario, isto não passa tudo de uma tentativa denegrir a imagem de D. Duarte, perante os portugueses.. mas não conseguem..

antoniomsousa
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 225
Registado: 20 de fevereiro de 2013 às 13h54

Mensagem por antoniomsousa »

vou aqui colocar alguns argumentos, que poderão ajudar a refrescar a memoria do sr regedor:

A Carta de Lei de 1834 tinha sido revogada em 1842, e em sucessivas revisões, vigorando depois daquela data os artigos referentes à sucessão da Carta Constitucional, a lei fundamental da Monarquia. Segundo os referidos artigos, não havendo português legítimo descendente de D. Maria II, passaria a coroa à linha anterior dos colaterais, que seria a dos descendentes de D. Pedro IV; mas, não havendo portugueses legítimos descendentes de D. Pedro IV, passaria a coroa à linha seguinte, que era a dos portugueses legítimos descendentes de D. Miguel (o filho varão imediato de D. João VI).

Uma Carta de Lei não podia sobrepor-se, e muito menos contrariar, um texto constitucional. E tinha sido a Carta Constitucional de 1826, sucessivamente revista, a reger tal matéria até 5 de Outubro de 1910.

Quanto à naturalidade de D. Duarte Nuno, não havia qualquer dúvida de que era português. beneficiou do regime de exterritorialidade concedido pelo imperador da Áustria, Francisco José, em 20 de Março de 1881, a D. Miguel II de Bragança. Perante a lei austríaca, ficou assim também ressalvada a D. Duarte Nuno a sua qualidade jurídica de português. Apesar de nascidos no estrangeiro tanto D. Duarte Nuno, nascido na Áustria, como, mais tarde, D. Duarte Pio, nascido na Suíça em 1945, foram registados como portugueses. O que não foi quebrado pela Constituição de 1933, cujo texto mantinha, como a Carta de 1826, a naturalização pela via sanguínea. D. Duarte Nuno e D. Duarte Pio foram considerados cidadãos naturais de Portugal.

António Regedor
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 161
Registado: 1 de dezembro de 2011 às 16h12

re

Mensagem por António Regedor »

A sua argumentação está completamente desmontada aqui http://pt.scribd.com/doc/114996263/D-Ro ... -de-Vencer

O imperador Austríaco não podia atribuir nacionalidades portuguesas era o que faltava, além disso quando ele deu essa atribuição o avô do sr. Duarte Pio já tinha 28 anos de idade ou seja era austríaco de nascimento.


Mas Vocês sobre isso tem a prova dos 9 quando o avô do Sr. Pio pede no pacto de Dover a D. Manuel II a devolução dos direitos de cidadania que ele bem sabia não ter. Não inventem quando são os intervenientes nos factos a reconhecer que não tinham a nacionalidade portuguesa!

As trafulhices são tantas que vocês caiem completamente no ridículo esqueçam a conversa das constituições porque também lá está que perde a nacionalidade quem for banido por sentença e também o Sr. Pio o reconhece que o estado português não os reconhecia!

Leia o link e aprenda!

antoniomsousa
Monárquico
Monárquico
Mensagens: 225
Registado: 20 de fevereiro de 2013 às 13h54

Mensagem por antoniomsousa »

O imperador Austríaco não podia atribuir nacionalidades portuguesas era o que faltava, além disso quando ele deu essa atribuição o avô do sr. Duarte Pio já tinha 28 anos de idade ou seja era austríaco de nascimento.
antes de mais defina me o conceito de extraterritorialidade !! bem acho vou ser seu "amigo" e vou lhe mostrar a definição :

" Privilégio de Extra-territorialidade

Apraz-me reconhecer a Sua Alteza Real o duque D. Miguel de Bragança e aos seus filhos menores solteiros que se conservem na casa paterna o direito de extra-territorialidade, com a determinação de que os efeitos deste direito se limitarão às suas próprias pessoas e à sua isenção da jurisdição dos tribunais do país em assuntos litigiosos que legalmente pertençam à jurisdição ordinária pessoal; e bem assim em todos os assuntos não litigiosos, referentes às suas pessoas; e por este modo se concede aos mesmos conforme o pedido feito referente à sua sujeição à jurisdição da minha intendência do marechal-mor da corte, a jurisdição pessoal desta última. Viena, 20 de Março de 1881. – Francisco José."

ora se a carta de lei estava revogada... e quanto à questão do pacto você sabe muito bem que aquela clausula era só para confirmar o que já estava na prática.. eram portugueses..


e como eu gosto de falar e apresentar provas, aqui esta o link onde se encontram copias de documentos que confirmam a verdade acerca de d. duarte nuno.

http://www.angelfire.com/pq/unica/image ... uarte_.pdf

tenha em atenção as pág 8-9 e 29-31.

Responder